Vaticano: um passeio pelo menor “país” do mundo!

Basilica_Sao_Pedro_1

Simplesmente indescritível! Esta é a única maneira que eu encontro para descrever a minha passagem pelo menor País do mundo: o Vaticano. Por mais que você leia, veja fotos, assista vídeos, imagine, é quase impossível expressar, com palavras, a grandiosidade e a beleza dos dois principais atrativos do Vaticano: a Basílica de São Pedro e os Museus do Vaticano.

Reservamos o último dia em Roma para fazer esse passeio. Acordamos já passava das 9h, tomamos nosso café e fizemos o check-out no hotel. Apesar de não ser exatamente alta temporada, preferi pagar um pouquinho mais caro e reservar o bilhete para visitor os Museus e a Basílica (via internet) pois sabia que se chegássemos lá e tivesse muita fila, o David não teria paciência de esperar. Reservei nossos bilhetes para as 13h.

Pegamos o ônibus e desembarcarmos em uma das laterais da Praça de São Pedro. Caminhamos menos de 500m e já estávamos lá, de frente para ela, a bela Basílica, de onde o simbolo maior da Igreja Católica, o Papa, abençoa milhares de fiéis todos os domingos.

Basilica_Sao_Pedro_02Basilica_Sao_Pedro_03 Apesar de ser quarta-feira, as cadeiras estavam lá, a postos, aguardando os próximos fiéis tomarem os seus lugares no domingo seguinte. Nas laterais da Praça, os imensos pilares dão uma primeira impressão do que está por vir. Apesar de já passar das 12h, a fila para entrar na igreja ainda estava relativamente pequena se comparada ao que vimos um pouco mais tarde.

Basilica_Sao_Pedro_04

Apesar de já passer do meio-dia, ainda não havia muita gente na Praça.

Como havíamos reservado bilhete para visitar o Museu e a Basílica, seguimos as instruções descritas no mapa e atravessamos a Praça em direção ao outro lado, onde fica a entrada dos Museus. Em apenas alguns metros fomos interpelados por inúmeras pessoas, guias turísticos que, desesperados, procuravam novos clientes.

A entrada dos Museus fica a uma distância de mais ou menos 500m da Praça de São Pedro. Pelo caminho, barracas e inúmeros camelôs vendem de tudo, especialmente bolsas, que são expostas na calçada mesmo, disputando lugar com os turistas que por ali passam. Finalmente chegamos à entrada do Museu do Vaticano. Não sei se demos sorte, mas não havia nenhuma fila.

Basilica_Sao_Pedro_05

Para chegar até a entrada dos Museus do Vaticano…

Basilica_Sao_Pedro_06

… caminha-se uns 500m pelas ruas da cidade

Entramos, fomos até a bilheteria para trocar a reserva por nossos bilhetes e seguimos em direção à escada rolante que leva ao piso superior, onde a visita começa.

Eu já tinha lido em alguns blogs que há dois percursos. Um deles, chamado percurso breve, é uma espécie de atalho para se chegar à Capela Sistina de forma mais rápida. Muitos visitantes dizem que se chegar bem cedo aos Museus – no horário da abertura – e utilizar este percurso é possível apreciar a bela capela quase vazia. No nosso caso não faria muita diferença pois os Museus já estavam repletos de visitantes. Mesmo assim, optamos por fazer o caminho inverso ao que os grupos de turistas com guias fazem e pegamos o “atalho” do percurso breve.  Apesar de ser baixa temporada, em alguns lugares você tem que andar se espremendo em meio a uma multidão de pessoas!

Basilica_Sao_Pedro_07 Mas todo o esforço vale a pena, podem apostar! A mais famosa capela do Vaticano é o ponto alto do passeio aos Museus do Vaticano e, por isso, está sempre lotada de turistas vindos do mundo todo. Entrar na Capela Sistina é como se você estivesse entrando, literalmente, em um pintura. Por todos os lados por onde se olhe, do teto ao piso, há uma imagem diferente.

A Capela recebeu este nome em 1881, uma homenagem a Sisto IV, o Papa que assumiu o compromisso de reconstruir a antiga Capela Magna do Palácio Apostólico. Apesar de estar bastante cheia de visitantes, conseguimos dois lugares para nos sentar e apreciar cada uma das cenas ali representadas, do Juízo Final (que ocupa toda a parede do altar da capela) à fantástica “Criação de Adão”, ambos de gênio  Michelangelo. Fantástica experiência!

http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2013/05/09/1022469/conheca-pintura-juizo-final-michelangelo.html

“Juízo Final” pintado por Michelangelo nas paredes da Capela Sistina

Infelizmente é proibido fotografar dentro da Capela e há inúmeros seguranças por lá tentando garantir que isto seja obedecido. Depois de um bom tempo na Capela, seguimos para ver as outras áreas dos Museus do Vaticano.

Como fizemos o percurso inverso ao da maioria dos visitantes, pudemos caminhar tranquilamente e apreciar as belezas do lugar, sem tumulto algum.

Um dos corredores dos Museus...

Um dos corredores dos Museus…

Detalhes dos afrescos no teto de um dos museus

Detalhes dos afrescos no teto de um dos museus

Um dos quartos pintados por Rafael

Um dos quartos pintados por Rafael

Quando decidimos sair para visitar a Basílica, uma surpresa. A saída do museu te leva exatamente para o hall de entrada da Igreja. Eu li vários textos sobre Roma mas ninguém mencionava isso. O que é ótimo pois, dependendo do horário, entrar para visitar a Basílica (gratuitamente) significa ficar horas na fila.

Construída entre os anos de 1506 e 1626, a Basílica de São Pedro é o tipo de lugar que deve ser visitado, independente de credo ou religião! Ela é, acima de tudo, história e arte. Basta lembrarmos que grandes artistas italianos como Bernini, Rafael Sanzio e Michelangelo tiveram participação na sua edificação.

Ao sair dos Museus chega-se a este ponto: o hall de entrada da Basílica.

Ao sair dos Museus chega-se a este ponto: o hall de entrada da Basílica.

Dentro da Igreja é tudo grandioso!

Dentro da Igreja é tudo grandioso!

É lá também que está enterrado São Pedro, um dos apóstolos e o primeiro papa da história da Igreja Católica. Aliás, foi justamente este fato que deu origem à tradição de enterrar todos os papas na Basílica.

A Igreja mais importante do mundo impressiona por sua suntuosidade e imponência. Logo na entrada, do lado direito, está Pietá, a famosa escultura de Michelangelo que retrata a Virgem Maria segurando o corpo de Jesus Cristo morto depois da crucificação.

Depois de Pietá vem a Capela de João Palo II, a estátua de São Pedro (toda em bronze), o Altar Papal e a famosa Cúpula de Michelangelo, enorme (136 metros de altua e 42 metros de diâmetro). Caminhando pela igreja é difícil saber para onde olhar, tudo chama atenção, das esculturas e pequenos altares nas laterais às cúpulas no teto.

 

A famosa Pietá...

A famosa Pietá…

... e a cúpula projetada por Michelangelo

… e a cúpula projetada por Michelangelo

Optamos por não subir os 550 degraus até a cúpula da Basílica, de onde é possível ter uma visão panorâmica da Praça de São Pedro. Ficamos mais algum tempo apreciando a igreja e continuamos nosso passeio pelas ruas da cidade-estado do Vaticano.

Impossível não tirar uma foto para registrar o momento!

Impossível não tirar uma foto para registrar o momento!

Um dia e um passeio que, sem dúvida alguma, aconselho a todos que tiverem a oportunidade de fazer. Vale a pena!

INFORMAÇÕES GERAIS (Localização, horários, preços, etc)Linha_Subtitulo

– Endereço:

Piazza San Pietro, 00120 Città del Vaticano, Cidade do Vaticano

– Como chegar:

  • De metrô: – Linha A: descer nas estações Ottaviano (S. Pietro) ou Cipro (Musei Vaticani). Caminhar aproximadamente 10 minutos.
  • De ônibus: – Linha 49: descer em frente à entrada do Museu (Musei Vaticani). – Linha 32, 81, 982 : descer na Piazza del Risorgimento (fim da linha) e caminhar 5 minutos. – 492: descer na parada Bastione de Michelangelo (para ir ao Museu) ou na parada Leone IV (para ir à Basílica) e caminhar 5 minutos. – 990: descer na parada Crescenzio/Terenzio e caminhar 5 minutos.
  • De Tram: 19  – descer na Piazza del Risorgimento e caminhar 5 minutos.
  • Da Estação Termini: ônibus 40 e descer no ponto final ou metrô linha A (veja acima)

– Horários:

  • Museus do Vaticano*
    – a bilheteria funciona das 9h às 16h. Os Museus fecham às 18h.

– Os Museus do Vaticano NÃO ABREM nas seguines datas:

– Domingo, com exceção do ultimo domingo de cada mês*.
– 01 e 06 de Janeiro;
– 11 de Fevereiro;
– 19 de Março;
– 05 e 06 de Abril;
– 01 de Maio;
– 29 de Junho (São Pedro e Paulo);
– 15 de Agosto;
– 8, 25 e 26 de Dezembro.

– No último domingo do mês, a entrada nos Museus do Vaticano é gratuita. Neste dia, os Museus ficam abertos das 9h às 12:30. A exceção fica por conta do Domingo de Páscoa, do dia 29 de Junho (São Pedro e Paulo) e dos dias 25 e 26 de Dezembro (Natal e São Stephen)

  •  Basílica de São Pedro:
    – Inverno (01/Outubro a 31/Março): 7h às 18h30;
    – Verão (01/Abril a 30/Setembro): 7h às 19h.

– Valores:

  • Museus do Vaticano e Capela Sistina (sem guia):
    – Inteira:  € 16,00;
    – Meia-entrada: € 8,00
  •  Basílica de São Pedro: gratuita.

– Informações:

  • http://mv.vatican.va/3_EN/pages/MV_Home.html
  • http://www.vatican.va/various/basiliche/san_pietro/it/basilica/cenni_storici.htm

POSTS RELACIONADOSLinha_Subtitulo

Museus do Vaticano: uma experiência única!
Vaticano: onde ir e o que fazer?
Praça de São Pedro | Vaticano |Itália
ROMA: dez dicas para você aproveitar melhor sua viagem!