Vaticano: onde ir e o que fazer?

Não é à toa que o maior país do mundo recebe milhões de turistas todos os anos. Além de ser o símbolo maior da Igreja Católica e residência oficial do papa (Palácio Apostólico), a cidade-Estado do Vaticano concentra – em uma área de apenas 40 hectares (ou 440.000m2) – um dos maiores conjuntos de obras de arte do mundo.

O território do Vaticano, que se tornou independente em 1929, consiste de um enclave* murado dentro da cidade de Roma, capital da Itália. Para entender melhor, é como se o Vaticano fosse um bairro da zona norte de Roma, uma vez que tudo envolta faz parte da cidade de Roma (veja o mapa abaixo). A diferença é que ele é considerado um estado independente. Lá vivem cerca de 900 habitantes, todos, sem exceção, integrantes da Igreja ou funcionários do clero.

Mapa_Vaticano_01

Mapa do Vaticano (http://www.freemapviewer.com/pt/map/Mapa-Vaticano_1060.html)

Se você está planejando uma visita a Roma, reserve pelo menos um dia para aproveitar tudo que o Vaticano tem para te oferecer. A seguir, listamos as principais atrações deste minúsculo e diferente país.

PRAÇA DE SÃO PEDROLinha_Subtitulo

Praca_Sao_Pedro_01A Praça de São Pedro é, obviamente uma das primeiras coisas que se vê ao chegar ao estado do Vaticano. Ela fica na frente da Basílica de mesmo nome. A Praça foi projetada e construída por Bernini entre 1656 e 1667 e é dividida em duas áreas distintas: a primeira tem a forma de um trapézio, marcado por dois braços esticados e convergentes em cada lado da praça da igreja; a segunda área tem a forma elíptica e é circundada por dois semicírculos, cada um deles contendo quatro fileiras de pilares.

“Considerando-se que São Pedro é quase a matriz de todas as igrejas, seu pórtico tinha que receber, dar um bem-vindo maternal de braços abertos a todos os católicos, o que confirma a sua fé; para os hereges, reconciliando-os com a Igreja; e para os infiéis, iluminando-os sobre a verdadeira fé”, justificou Benini. Quer saber mais sobre a Praça, clique aqui.

BASÍLICA DE SÃO PEDROLinha_Subtitulo

Basilica_Sao_Pedro_13A Basílica de São Pedro, na minha opinião, não é a mais bela de Roma. Eu me apaixonei pela Basílica de São Giovane mas, sem dúvida alguma, é um lugar que você precisa visitar, independente de religião. Como eu disse em outro post, o símbolo maior da Igreja Católica é, sobretudo, história e arte.

A visitação é gratuita mas, dependendo do dia e horário, você pode ter que enfrentar uma fila enorme. Então, eu sugiro que você adquira o bilhete para visitar os Museus do Vaticano, que incluem a visita à Basílica. A probabilidade de perder menos tempo na fila é maior.

 

 

MUSEUS DO VATICANOLinha_Subtitulo

Museus_do_Vaticano_04Eles são chamados Museus (e não Museu) por uma razão muito simples, em um mesmo local (um palácio onde ficavam os aposentos dos papas) há um conjunto de pequenos museus, todos interligados.

Cada museu reserva uma coletânea de obras de arte que surpreendem pela beleza e rebuscamento. E também é no interior dos Museus do Vaticano que se encontrar a mais famosa das Capelas, a Sistina, simplesmente maravilhosa e imperdível. Você pode optar por fazer a visita com guia ou sem guia. Se escolher a segunda opção, saiba que terá que ter bastante paciência, eles param em todos as salas. Para ler mais sobre os Museus, clique aqui.

JARDINS DO VATICANOLinha_Subtitulo

Jardins_do_VaticanoOs Jardins do Vaticano existem desde 1279, quando a residência do papa deixou de ser no Palácio Lateran e passou a ser no Vaticano. Na época o papa Nicholas III mandou construir muros para proteger a residência papal. Lá dentro, ele fez um pomar, um gramado e um jardim. Os jardins, que ocupam quase metade dos 44 hectares do Vaticano, só pode ser visitado com um guia autorizado. O bilhete custa € 32.

 

 

NECRÓPOLE DO VATICANOLinha_Subtitulo

Necropoles_VaticanoA necrópole do Vaticano (parte da cidade dedicada ao sepultamento dos mortos) foi aberta à visitação após as escavações feitas em Janeiro de 2014. A zona arqueológica chamada de via Trumphalis fica sob o Vaticano. É uma área de mil metros quadrados, onde é possível ver sepulturas em perfeito estado de conservação, mosaios, frescos e sarcófagos do século I a.C. ao século II d.C. No final da necrópole há uma construção (Trofeo di Gaio) cujos estudos indicam ser o local onde o apóstolo Pedro foi enterrado.

Visitar a necrópole não é muito fácil, eu mesma tentei mas não consegui. O número de visitantes é limitado, portanto, para conseguir fazer o passeio é necessário agenda com antecedência. As reservas devem ser feitas por e-mail para o Departamento para Visitas às Escavações ([email protected]) ou por fax (+39 06 69873017). Ao solicitar a visita, você de especificar o número de pessoas, nomes, um e-mail para contato e as datas em que você está disponível para a visita.

TÚMULOS DOS PAPAS – GRUTAS DO VATICANOLinha_Subtitulo

Tumulos_PapasComo falamos em outro post, desde a morte do apóstolo Pedro, criou-se uma tradição de enterrar todos os papas no interior da Basílica.  O local onde está o cemitério subterrâneo ou cripta da Basílica é chamado de Grutas do Vaticano.

Lá estão enterrados inúmeros papas e, também, outras pessoas importantes para a igreja católica. Alguns membros da realeza europeia, como a rainha Cristina (Suécia), também estão enterrados lá. Quando beatificados, como foi o caso de João Paulo II, os restos mortais são trasnferidos para uma capela. O acesso à Gruta pode ser feito de duas formas: pela lateral da Basília ou pelo seu interior, perto da estátua de Santo André.

JARDINS DAS VILAS PONTIFÍCIAS DO CASTEL GANDOLFOLinha_Subtitulo

Castel_Grandolfo_Jardins Os jardins da residência pontifícia do Castel Gandolfo forão abertos para visitação em março de 2014, pelo papa Francisco. O jardim, chamado Giardino Barberini, foi criado pelo artista renascentista (daí o nome) e possui, além de suas belezas naturais, importantes joias arqueológicas.

Ao contrário dos Jardins do Vaticano, o Barberini fica nas proximidades de Roma, em uma região chamada Lácio. Os jardins são abertos ao público de segunda a sábado no período da manhã. As visitas são guiadas e o bilhete custa € 26 euros. Se comprar o ingresso para o Giardino Barberini em conjunto com os Museus do Vaticano, o valor sai por € 42.  É necessário reservar com antecedência no site do Museu do Vaticano.

*Enclave: s.m. Que se localiza dentro dos limites de outro território; região, território, terreno, reduto localizado completamente dentro das limitações de outro território. Geologia. Rocha, normalmente vulcânica ou plutônica, que se encontra localizada no interior de outra.  (http://www.dicio.com.br/enclave/)

POSTS RELACIONADOSLinha_Subtitulo

Vaticano: um passeio pelo menor “país” do mundo!
– Museus do Vaticano: uma experiência única!
Praça de São Pedro | Vaticano |Itália